fbpx
Fale Conosco

Logos fálicas: conheça alguns erros comuns ao criar um logotipo

capa logos fálicas

Pare por um minuto e olhe a sua volta.

Temos certeza que, ao fazer isso, você irá encontrar pelo menos dois logotipos.

Um, por exemplo, já está na sua frente, é só você olhar para a marca do seu smartphone, notebook ou computador.

Depois de fazer isso, responda:

Qual foi sua primeira impressão a respeito desses logos que acabou de observar? Com o que se parecem? Você os considera bonitos? Possuem alguma característica que se sobressai?

Não há nenhum problema para uma marca se sua opinião sobre ela for negativa. O problema pode aparecer se grande parte do público pensar da mesma forma.

E acredite, não é nem um pouco difícil encontrar marcas que foram duramente criticadas por conta dos seus logotipos.

Caso tenha alguma dúvida do que é logotipo, veja nossa matéria de “Qual a importância do logotipo para sua empresa”.

Dentre os motivos que podem acarretar nessa chuva de críticas, estão alguns bem comuns: conceito, proporção, falta ou excesso de elementos e, talvez o mais polêmico deles, os logos fálicos.

É um termo desconhecido para você? Sem problemas, a gente te explica.

O que exatamente seriam logos fálicas?

A palavra “fálico (a)” é um adjetivo que se refere ao falo, este, por sua vez, é relativo ao órgão reprodutor masculino.

Ou seja, quando falamos “logos fálicas” estamos nos referindo a logotipos que parecem ter algum tipo de conotação sexual.

De início, esse conceito teórico pode ser um pouco confuso, mas é tudo bem simples, quer ver?

logos fálicas cinemateca brasileira

No seu aniversário de 70 anos, em 2016, a Cinemateca Brasileira divulgou um vídeo em que explicava o conceito do seu logotipo.

Olhando o logo não é muito difícil adivinhar o motivo da instituição ter que fazer um vídeo explicativo.

Há décadas, a Cinemateca sofre com piadas e brincadeiras por parte do público.

No vídeo divulgado é esclarecido que o logo é uma representação “wollneriana” de um corte transversal de projetor de filmes.

Mas nenhum tipo de explicação foi suficiente para “calar” o público.

Nas redes sociais da Cinemateca, os internautas não perdoam, e comentários pejorativos envolvendo o logotipo são encontrados aos montes.

E há outros exemplos bem famosos quando falamos em logos fálicas.

Vejamos alguns.

logos fálicas instituto de compreensão islâmica
Instituto de Compreensão Islâmica
logos fálicas instituto de estudos orientais
Instituto de Estudos Orientais
logos fálicas dirty bird
Dirty Bird, empresa do ramo alimentício
logos fálicas Arlington Pediatric Center
Arlington Pediatric Center

A maldade está nos olhos de quem vê?

Problemas de interpretação de mensagem é assunto recorrente em qualquer tipo de comunicação.

A questão é que quando falamos de logotipos, temos um agravante.

O logo tem a responsabilidade de personificar as principais características e transmitir os valores da empresa do qual pertence.

É a principal apresentação de uma marca perante o público.

Logo, será que vale realmente a pena usar um símbolo fálico na composição de um logotipo?

O que é mais importante: o conceito e a mensagem desejada pelo emissor (marca) ou o conceito e mensagem percebido pelo receptor (público geral)?

No caso da Cinemateca, por exemplo, a instituição decidiu ignorar os comentários do público, e não só manteve sua logo fálica, como reforçou seu conceito.

Entretanto, vale a pena lembrar que estamos falando de uma instituição histórica, com um público segmentado e fiel.

Se uma marca criada agora, na era digital, onde as redes sociais estão mais poderosas do que nunca, decidisse seguir um conceito parecido teria os mesmos resultados?

Adiantamos que dificilmente isso seria possível.

A maldade até pode estar nos olhos de quem vê. O problema é que são essas pessoas que, muitas das vezes, determinam o sucesso ou o fracasso de uma marca.

Para não correr o risco do fracasso é importante definir bem qual será a imagem que você quer passar para o seu público.

Há uma série de riscos ao criar um logo, por isso, devemos estar muito atentos.

Erros que não se pode cometer ao criar um logotipo

A grande maioria dos erros em comunicações visuais podem até ser corrigidos ou contornados.

Mas como é possível “corrigir” um logotipo? Infelizmente existem alguns campos de atividade onde os erros são quase impossíveis de se corrigir e, acredite ou não, o projeto de logotipo é um deles.

Um logotipo é parte de uma estratégia de branding, o que significa que as pessoas vão fazer um julgamento simples: um mal logotipo representa uma má entidade! Principalmente as logos fálicas.

Ou seja, um logotipo mal projetado pode levar à falência.

Vejamos, então, alguns dos erros que não devem ser cometidos.

Contratar serviço amador

gato sendo arrastado

É muito comum vermos marcas que recorrem a contratação de pessoas sem experiência para desenvolverem seus logotipos.

A construção de uma marca sólida requer profissionais qualificados.

Na criação de um logotipo são utilizados vários conhecimentos, então é essencial saber um pouco a respeito de branding, marketing, psicologia e conhecimentos técnicos nos programas necessários.

Logo, o trabalho dever ser, sempre, designado a um profissional.

Seguir tendências

mulher tirando foto dela mesma

Numa sociedade cada vez mais volátil, onde tudo muda tão depressa, se basear em elementos que estão em alta hoje não é uma boa opção.

O ideal é pensar a longo prazo para que o logo não precise passar por constantes atualizações, já que isso poderia fazer com que a marca perdesse credibilidade.

Copiar o que deu certo

copiadora de likes

O óbvio também precisa ser dito.

Além do plágio ser crime, é vergonhoso e traz uma imagem horrível para a marca.

Empresa nenhuma passa uma boa impressão construindo logotipos baseados em outros, ainda mais se estes forem de concorrentes diretos.

A falta de originalidade é a pior desvantagem que um logotipo pode ter.

Fazer algo muito complexo

mulher pensando

Não devemos encher o logo com muitos significados, elementos e detalhes. Pois será difícil para o público perceber e decifrar estes conceitos.

Um bom logotipo é aquele que é simples, original e de fácil entendimento.

Fazer algo simples demais

Devemos evitar os extremos. Assim como a complexidade não é legal, algo muito simples fará com que sua marca pareça vaga e sem essência.

O logo deve transmitir os valores da sua empresa, por isso precisa conter os elementos certos para tal.

Não testar o logotipo para diversos fins

Outro ponto a ser observado é com relação aos testes que devem ser feitos no logotipo para ver se ele vai servir para todas as necessidades da empresa.

Afinal de contas, os logos são impressos nos mais diferentes tipos de papéis e tamanhos, portanto é necessário que ele permaneça legível nas mais diferentes situações, evitando transtornos.

É importante também testá-lo somente em preto e branco, pois ele deverá servir para diversos tipos de anúncios, folhetos, banners, outdoors, etc, e nem sempre é possível usar suas cores originais.

Complexo, não?

A criação de um logotipo e de uma identidade visual como um todo, não é algo fácil e deve ser tratado com seriedade e responsabilidade.

Pequenos erros podem custar muito caro para a marca.

Se você quer estar preparado e saber exatamente tudo o que se deve evitar na hora de projetar um logo, faça o download do Ebook “Como criar um logotipo”.

Não dê margens para erros. Preencha o formulário a baixo!

Compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no google
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email

Fique por dentro das novidades da Gaud

Tem um Produto
ou Serviço?

41 3779.2001

Av República Argentina, 1395, sl. 06.
Água Verde, Curitiba – PR, 80620-010